sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Uma folia

Tudo bem, tudo bem!!! De fato é grifo de iniciante, palavras presas, sem tino de poeta, é muito impressionista. Como se o coloquialismo da forma fosse mais importante que o conteúdo, mas é busca, desejo de ser, repetição de um exercício incessante.

O que salta é o rasgo do abismo, o não ter o que dizer tendo que dizer, porque algo precisa ser dito sobre aquilo que não tem forma, mas incomoda como se fosse um tijolo de mil toneladas, doendo a cabeça, remexendo o estômago, dançando frevo o coração.

Não é de desistir, já que os passistas do frevo ficam em volta da cabeça como foliões a perturbarem o vazio. 

E cada vez que se libera um passista preso na epiderme do papel, porém, livre no mundo, outros vêm atrás não dando tréguas, como se fossem inimigos da quietude, perturbadores da ordem do individuo.

Então, a palavra precisa sair, senão sufoca. Represada, parece um presídio com superlotação, só que cheio de passistas de frevo.

Aí, vem o descuido, o não trato da forma, a palavra apressada, agitada, não trabalhada, pouco elaborada, liberando as portas da prisão, fazendo sair uma multidão descendo a ladeira, fazendo folia.

Até que um novo bloco de passistas passe de novo, mas não é carnaval, já que ninguém sabe o que cada brincante canta, diz, reverbera. É expressão de felicidade sim, mas é muito mais vontade de viver.

Como ficarão quando o agito acabar? Possivelmente igual àquele que empresta sua pena porque se não o fizer, a vida lembrará o moto-contínuo de uma eterna quarta-feira de cinzas. 

Essa folia não vai acabar.





3 comentários:

  1. sou admirador assíduo de seus artigos, suas opiniões são de uma importância bastante significante,gostaria sua opinião sobre o futuro dos programas acadêmicos das universidades do maranhão- Darci Ribeiro-, quando irá retornar e se vai acabar,sou um ex aluno de vossa graça. abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado, fico feliz em saber que admira meus textos. Olha, sou coordenador da CCP (Coordenador Cientifico Pedagógico do Programa Darcy Ribeiro), não estou autorizado a falar pelo Programa, então, vou falar como Professor da UEMA. O programa Darcy Ribeiro foi pensado a partir de uma deficiência de professores nas áreas que ele atua, portanto, vai preencher uma lacuna. Acontece que a governadora não suporta a UEMA, muito menos o programa, no fundo o Maranhão como um todo, então, ela não prioriza, respeita, compreende a educação. O programa está paralizado por falta de recursos, desde setembro não recebemos absolutamente nada, nada, as contas estão todas atrasadas.

      Ele não vai fechar, mas precisamos receber o repasse do governo do Estado para programarmos o retorno das aulas. Na pior das hipóteses, as aulas voltam em março, na melhor, em janeiro.

      O programa é muito importante. Não vai fechar não

      abraços do Henrique

      Excluir
  2. muito obrigado. ribamar dos santos

    ResponderExcluir