segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Ser Assim

Ser Grande!!
Assim, abarcando mais peitos abertos,
recebendo os ventos frontais que balançam as árvores plantadas na cabeça,
a mesma que por estar alta,
mais longe da terra,
do elemento cudalínico puxando para baixo de forma visceral
o abdome oblíquo a tudo sorver
formas vociferantes de uma fome que nem de mil homens,
que se observa daqui de cima,
captada pelos olhos e as antenas dos ouvidos,
receptor de vozes estridentes,
sem estar entre dentes
a soprar frases perpassadas por bocas que não se comparam à do estômago,
porta de entrada de um mundo devorador das árvores da cabeça,
das antenas que são ouvidos,
das palavras revolvidas no intestino e devolvidas ao vento,
sopradas pela boca,
tornando-se mais uma das vozes que as antenas captam

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário