domingo, 2 de dezembro de 2012

wind of change: as mudanças no Brasil

A democracia está longe de ser o sistema ideal e perfeito, mas duvido muito que as sociedades onde ela existe queiram abrir mão. Existe um certo desencantamento e até decepção, vez que os mecanismos de imprensa, grosso modo, são controlados por pequenos grupos, o acesso à justiça é burocratizado, a corrupção desencanta aqueles que esperam da política a saída para resolução dos seus problemas.

Ainda há o problema no Brasil do voto obrigatório e não conseguimos mudar os quadros dos partidos políticos, as pessoas sem comprometimento partidário não querem lançar-se a cargos eletivos, temem que a máquina da política possa impedir seus planos de mudança e até mesmo corromper-se.

Alguns anos atrás foi realizado uma pesquisa no Brasil perguntando em que os brasileiros menos confiavam, as respostas foram: Congresso Nacional, Polícias e justiça. Isso é péssimo,  ruim. Sinal de que os brasileiros não acreditam nas suas instituições e no aparato burocrático do estado.

Paralelamente a isso, o Ministério Público logrou uma campanha exitosa de combate à corrupção, não tardou para se abrir um debate nacional acerca do papel de tal órgão, se deveria ou não fazer o trabalho de polícia. Muitos na verdade se sentiram ameaçados por suas investigações. Resultado: restringiram a ação do Ministério Público.

Agora o Conselho Nacional de Justiça começa uma campanha nacional ética de investigação sobre juízes corruptos, muitos já perderam seus empregos, outros estão sendo investigados.

Mas o que me chama a atenção tem sido a atuação do STF (Supremo Tribunal Federal). Dantes, era um refúgio para políticos que respondiam a processos jurídicos, agora, tal órgão tem julgado com muita seriedade e passado o Brasil a limpo, vide o caso do mensalão.

Questões políticas perpassam os julgamentos? Claro, a política está em todos os lugares, mas nem o mais cético seria capaz de propagar deliberadamente que o Brasil não está mudando, o STF é uma demonstração disso.

As mudanças no Brasil são lentas? Demais, na democracia é assim mesmo, sobretudo num país com pouca tradição democrática como este. Se as pessoas fossem mais conscientes do seu papel, avançaríamos mais rapidamente, como não, estamos esperando os ventos da mudança.

Ainda somos muito atrasados, mas estamos mudando. A saída é consolidar a democracia.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário