sábado, 8 de dezembro de 2012

Mais que folha de louro

De quatro em quatro anos os jovens atletas gregos se reuniam para a celebração e disputa dos jogos olímpicos. Era um dos poucos momentos de congraçamento, de união dentre os diferentes citadinos das cidades-estados. Naquela ocasião agrupava-se o que de melhor os gregos possuíam. Todos, sem exceção, mandavam seus melhores, os mais fortes, vistosos, preparados e resistentes.

Os vencedores eram considerados semideuses, verdadeiros heróis. Voltavam para casa carregados nos braços do povo, eternizados pela lembrança dos seus feitos, livres do olvido, verdadeiro exílio.

Recebiam a mais alta condecoração: a folha de louro. Nenhuma recompensa se igualava a portar tal honraria. Carregavam nas cabeças o símbolo do prestígio, da fortuna e do reconhecimento social.

Certa vez, na noite das dionisíacas, quando todos celebravam as poesias do maior poeta grego, Homero, ocasião também para condecorar os grandes heróis vencedores dos jogos, o jovem Ítaco, ao ver uma jovem carregar a folha de louro para laurear-lhe a cabeça, se recusou a receber tal condecoração. 

A jovem deixou as folhas de louro e saiu. Perguntado pelos demais poetas porque insultara a honra dos deuses ao não receber a condecoração, ele respondeu:

O que são folhas de louro diante da beleza de tal jovem!!! Ela é divina, por isso seus amplexos abarcam um mundo maior que o meu. Quando ela anda, balança as folhas plantadas em suas costas, mexendo com os ventos buliçosos que tocam seu rosto. Seu abdômen côncavo é mais resistente do que qualquer homem, sustentada por suas pernas que mais lembram o Colosso de Rhodes. Seu rosto esplêndido aturde todos que a veem passar. Sua cabeça altíssona capta as vozes estridentes que sopram frases disformes, descontínuas, desconexas, perpassadas por tantas bocas que não se comparam à sua. Seus olhos são verdadeiros faróis a guiar os jovens navegantes numa noite de mar agitado. Seus cabelos claros, a manta que cobre a deusa Ártemis. E sua beleza é de matar de inveja o grande Apolo ou mesmo Palas Atena. 

Me desculpem meus caros gregos, mas o que são folhas de louro diante da presença daquela mulher. Depois que ela se foi nem mesmo as poesias do grande Homero são capazes de ressoar como grande inspiração para os que aqui ficaram. Por ela, eu venceria qualquer disputa.

Depois de tal recitação, a folha de louro deixou de ser a maior condecoração para os vencedores dos jogos olímpicos. A partir dali uma medalha com o rosto da jovem bela passou a prantear os peitos dos atletas. Foi assim que nasceu a medalha como condecoração.                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário