domingo, 23 de setembro de 2012

A angústia da espera

O leito virou tua nova casa,
os de brancos são agora tuas novas companhias,
teu corpo negro, outrora pesado,
é agora cada vez mais leve,
ao te ver passar na maca para mais uma abertura do teu corpo
penso na tua força para continuar,
enquanto nós aqui fora alquebrados pela angústia do silêncio
esperamos teu retorno,
tu vais voltar, sabemos,
não será a 18ª que tirará teu ânimo e vontade,
e nós continuaremos a embalar o desejo de te ver voltar,
dessa vez, eu vou tocar o pinho para ti,

mas não te garanto o vozeirão de Ângela Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário