segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Vida: um livro incompreendido



Por Ingrid Campelo




É medo? É dúvida? É saudade? É angústia?
Não sei.
Por trás de cada sorriso, existe uma tímida lágrima, que não se revela a qualquer mundo...
Cada ser humano carrega uma morte,
uma renúncia, um santuário.
Para viver é necessário transitarmos entre a dor e o prazer
sem escaparmos do que cada extremo irá permitir sentir.
Não existe uma alegria em que a tristeza não tenha lhe feito companhia,
não existe equilíbrio no universo se ambas as forças não contribuam equivalentemente na projeção dos dias.
Incompreensível?
Apenas busque enxergar, como diz Renato Russo, "o que ninguém consegue entender", estenda sua visão para o imaterial, para o invisível aos olhos, pois é ali que se encontrará o segredo da razão.
Acredite no mal mascarado, tal quanto afirme uma alegria encenada, pois o que nos cerca solidamente está preocupado com as respostas imediatas.
E tão somente vivermos do imediatismo nos possibilita o risco de apenas passarmos por essa vida sem vivermos o que ela tem de mais humilde... sendo isto o que nos conduz ao paraíso dos gigantes na Terra.
Tudo passa, tudo muda, tudo é fugaz...
Tudo se restabelece, tudo se encontra, tudo se refaz,
ainda que por trás de cada sorriso exista uma tímida lágrima que não se revela a qualquer mundo...
A vida é um livro, em que a capa todos conhecem,
entretanto as entrelinhas são teus segredos.
Por isso, não pense que há dores, ou alegrias maiores ou menores,elas são o que são.
O sentido que tu darás ao teu riso e ao teu choro, é o que irá causar diferença na conspiradora força do universo sobre ti.
Deus está a te observar, e vela o teu mundo particular...


2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, parabéns a Ingrid Campelo, já tive oportunidade de ler alguns trechos de escritos dela no facebook e particularmente acho muito interessante, muito agradável sua forma de escrever!

    ResponderExcluir