quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Adeus Nair de Sousa, a Kaká

Eu sempre achei que escreveria poesias, contos, crônicas e artigos falando da beleza e leveza da vida, forma como a vejo, mas essa crônica tem um ar de despedida e saudade, portanto, de uma certa tristeza, apesar de ser uma homenagem.

Acabo de receber o telefonema de meu dileto, estimado e querido amigo Serginho, comunicando-me o falecimento de sua irmã Nair, a nossa Kaká.

Internada desde 17 de julho com pancreatite, acompanhei seus últimos 30 dias de agonia, período que dividiu a UTI com minha mãe, internada com diverticulite e que agora já se encontra em casa. 

Conheci Kaká nos tempos idos em que éramos uma turma de jovens membros da Igreja do Evangelho Quadrangular em 1989. Éramos uma turma grande, e Serginho estava sempre acompanhado das irmãs Nádia, Nair, a Kaká, Adriana e Andréa, os filhos de Dona Graça e seu Antônio, além de Charles, que nunca pertenceu à igreja.

Dividíamos retiros, cultos, evangelizações e continuamos a ter contato quando nos dispersamos. A igreja já não aglutinava mais os intrépidos evangelizadores da Cohab, sempre tocando violão, cantarolando, felizes.

Foram dias de luta e angústia e todas as vezes que via Adriana, Andréa, Dona Graça e Serginho, tentava animá-los, era também uma forma de buscar forças para a manutenção da esperança de cura para a minha mãe, além de retomar os afetos que nos envolve desde longas datas. Na sala de espera da UTI, dávamos as mãos sempre nos horários de visita, quando saíamos o assunto era sempre o estado de recuperação, a esperança renovada. 

Há um provérbio chinês que diz que não devemos lamentar quando um barco velho atraca no cais, cumpriu sua jornada, e sim, quando um jovem barco não completa seu percurso. 

Kaká era extremamente jovem, 39 anos, deixando 2 filhos e um marido. Não sabemos os mistérios da vida, mas posso garantir que o sofrimento acabou. 

Vai, Kaká.... Segue tua jornada em paz. Aos que ficam, resta a saudade de tua doce, agradável companhia e a certeza de que o teu sorriso nos contagiou quando conosco estiveste.            

                 



6 comentários:

  1. Na vida há amigos mais chegados que irmãos, que está conoso da dor e no reparitr do pão... Lindas as palavras, é a tradução do que vocês viveram sem intrigas e falsidades, o que prevaleceu foi somente o amor e averdade. A failia da Kaka acredita que pode contar sempre com você, pois a amizade de vocês foi um presentinho de Deus. O importante é compartilhar e avalorizar as pessoas a cada dia, vivendo em união, superando as diferênças e liberando sempre o perdão. Que a graça de Deus esteja contigo Henrique. Sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. querido Nando. obrigado por suas palavras. De fato muito me orgulha ser amiga da familia da KAka. Ontem, não ´puder ir a missa de 7 missa, na verdade fui mas não entrei, minhas filhas estavam dormindo no carro. Obrigado Nando, que Deus te abençoe

      Excluir
  2. A vida e tão maravilhosa porque também é feita de colos, de feridas que cicatrizam, de amigos que celebram ou choram juntos.
    Feitas de pessoas apaixonadas e apaixonantes, possíveis e impossíveis, pessoas que machucam e pessoas que chegam pra curar. Voce Zeca foi meu amigo irmão me deu colo, chorou comigo e está ajudando a cicatrizar a nossa dor com suas palavras de amor e carinho
    Obrigado por fazer parte de nossas vidas, te amamos muito querido irmão, que Deus abençoe voce e sua familia!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida Nadia, para mim foi muito difícil acompanhar todo o tratamento de Kaká, vi tudo bem de perto, acompanhei todo o sofrimento, enfim, também alimentei esperança. Amo vocês de todo o meu coração.

      Fiquem bem e contem sempre comigo

      Excluir
  3. Meu querido amigo, seu carinho e atenção fez com que a minha familia atravessasse esse momento tão delicado, pois voce se mostrou um verdadeiro irmão, carinhoso e muito generoso. Voce que fez parte de nossa adolecência desfrutando de momentos inesquecíveis... O que posso dizer de voce meu amigo? Que continua insistentemente e maravilhosamente, diria eu, a habitar nossos corações. E as lagrimas que nos invadiram como chuvas repentinas não são de tristezas, e sim uma forma de como nosso coração se expressa para mostrar o quanto o outro vivo é eternamente apegado a nossa alma.
    Lagrimas assim são benditas, são parte de nossa oração em agradescimento a Deus por ter transformado em AMIGO esse ANJO que vêm iluminar nossas vidas. Esse é voce meu amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida Adriana. Como não estar perto de vocês nesse momento tão dificil que atravessaram e ainda atravessam? Sempre fomos amigos, estivemos sempre perto um do outro e eu gostava muito da Kaká, aliás, de todos. Acompanhei tudo de muito perto e vocês me incentivaram e me deram forças quanto a minha mãe.

      amo vocês, sempre estarei perto quando precisarem. contem sempre comigo

      Excluir