sexta-feira, 17 de agosto de 2012

feliz (c) idade

Veneranda ideia de tudo sorver,
é igual à atitude da criança de tudo querer saber,
mas não dá para sorver tudo,
assim como não dá para tudo se saber,
só aos poucos a poeira vai assentando,
a rede balança devagar,
vê-se a vida passar pela janela
os barulhos do carro,
um choro de criança
um grito de uma coruja

Aquele desejo de tudo querer ser,
não vai dar,
aquele filme para assistir, agora também não,
o que dá para fazer é acreditar no que se sente,
sorver a vida como pode ser sorvida,
isso sim,
não como a gente quer,
mas como pode ser,
isso sim

Deixa para lá,
deixa essa rede balançar
deixa essa paz interna inebriar, ainda mais
deixa essa felicidade arrebentar,

vamos ver o que dá,
isso sim dá,
vamos deixar a felicidade, feliz idade chegar

Este poema é bobinho,
mas deixa estar
deixa para lá,

Ele não é linguagem fática,
é apenas um desejo bobo
de expressar que a felicidade veio para ficar





    

Nenhum comentário:

Postar um comentário