quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Por onde a luz passa

São frondosos teus braços,
são extensos, densos e espalhados,
filtram a luz por onde o sol quer tocar o chão,
vai-se a luz desmilinguido-se, mirrando até atingir o solo,
mas nem por isso deixa de ser luz ou ser tão intensa como aquela que toca seus primeiros braços,
daqui debaixo vê-se o mosaico de cores, também turva-cor,
são caleidoscópicas tuas miragens,
são miríades, mirras verdes,
também é cinzenta tua base,
não sei se prefiro estar sob a tua proteção,
ou se sinto inveja ao saber que teus braços
são os primeiros a beijar tanta claridade


Nenhum comentário:

Postar um comentário