sexta-feira, 20 de julho de 2012

Um Poema (Quase) Real

(Patrícia Luzio e Henrique Borralho)


Onde está o Real?
Podes me mostrar?

Imagina-o no interregno
entre o ser e o ter que ser,
entre a espera e a experiência.

Não acredito!

Não seria em outro lugar?
Naquele menos imaginado
menos visto
menos traduzido?

Não seria o Real
o sopro daquele vento nos corredores?
Meu fio de cabelo branco?
Teu sorriso dentado?

Sim e não.
É e não é.
Ele está onde queremos que esteja.

A palavra desenha coisas impensadas
que agora acontecem neste poema.

É Real?


Nenhum comentário:

Postar um comentário